Elasticidade-Renda da Demanda

Elasticidade-Renda da demanda mede a variação percentual na quantidade demandada de um bem dado uma variação percentual na renda do consumidor.

Para cálculo de elasticidade, precisamos primeiramente de uma série histórica de dados. São necessários ao menos 2 períodos, mas quanto maior o número de dados, mais apurado poderá ser o cálculo, principalmente se utilizar técnicas econométricas.

Abaixo demonstraremos um cálculo de elasticidade para um produto qualquer, com apenas 2 períodos e aplicando-se a fórmula padrão de cláclculo:

PERÍODO RENDA QUANTIDADE
JAN/20X1 R$1000,00 480
FEV/20X1 R$1100,00 500

 

Aplicando-se a fórmula:

    \[E_{R}=\frac{\frac{\Delta Q}{Q}}{\frac{\Delta Y}{Y}}=\frac{\Delta Q}{Q}.\frac{Y}{\Delta Y}=\frac{500-480}{480}.{\frac{1000}{1100-1000}}\]

    \[E_{P}=\frac{20}{480}.\frac{1000}{100}=\frac{20000}{48000}= +0,4 \]

Entendendo o resultado: para cada variação percentual de 1% na renda do consumidor, a quantidade demandada variará em 0,4%.

Se a elasticidade-renda for menor que 1 e positiva o bem é inelastico a renda. Se for maior que 1 e positivo o bem é elástico a renda. Se for negativo o bem é considerado inferior, ou seja, aumentos de renda geram redução na quantidade demandada, normalmente devido a substituição por outros bens. Por exemplo a carne de segunda, um aumento da renda gera uma redução de demanda via substituição da carne de segunda por outra de melhor qualidade.

7 Comentários

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.